"Há menos penhoras. Mas na educação, táxis e agricultura pede-se mais" - Diário de Notícias

"Nestes últimos três anos, a ação executiva tem vindo a espelhar o clima de retoma do crescimento económico que se tem registado no país. Assim, temos assistido a uma estabilização do número de processos executivos entrados, a uma maior celeridade na resolução dos mesmos, a uma quebra na pendência e, também, ao aumento da literacia financeira, algo que tem permitido aos cidadãos gerir melhor e compreender estas questões. Além disso, não posso deixar de destacar o impacto positivo das ferramentas tecnológicas que têm sido implementadas no âmbito da ação executiva, nomeadamente da plataforma e-leilões, a qual tem garantido a valorização e a mais rápida venda de bens penhorados, beneficiando, assim, todos os intervenientes no processo. (...)"

Saiba mais em www.dn.pt.

Publicado a 13/07/2018

Imprensa